AMOR E VERDADE ESSENCIAS DA VIDA

POESIAS

 

 

 

sábado, 31 de julho de 2010

ACONCHEGO

 
                                                                foto.Crislaine- junho 2010




Voltei...
Nâo que estivesse ausente...
longe...
meu coração estava aqui...
sentadinho na sala...diante da tela...
pensando, nos amargos fatos desses dias...
não valiam ser gravados...
quero falar de vida...
quero falar de sonhos
quero falar de amor, alegria, paz...
quero falar de flores
de crianças brincando
de gente se amando...
de olhares que roubam sorrisos
e devolvem felicidade...
quero falar desse prazer imenso de amar
de se estar convicto do amor
de se estar transbordando felicidade
de tal modo, de tal forma que maior que seja a dor,
dos dedos escorrem poesias doces como o mel...
não quero macular este espaço com a angustia,
com meus medos...
e se alguma tristeza transparece...
voltar e este meu aconchego
me dá um prazer tão grande
que não me importa sofrer
chorar, me moer,sangrar a alma...
aqui encontro a paz  nos teus olhos que leem,
no teu sorriso que me acalma...
aqui sinto o teu abraço,
ouço teu coração,
bem pertinho do meu...
aqui é o meu aconchego...
jcflor.julho 31.
 

domingo, 11 de julho de 2010

FIM DE TARDE....

 
                                                        FOTO DE ADRIANA= JULHO 2010-GTA.


não sei de onde vieram...
eram tantos...
com seus cantos...
com suas cores...
eram tantos seus amores...
seus sonhos, suas dores....
eram talvez poucas flores...
pelas arvores dos caminhos...
onde não fizeram ninhos!
De onde vieram não sei...
sei apenas que eram bandos...
bandos e mais bandos...
como lembranças
que surgem derrepente na mente...
Eram lembranças voando...
de todos os nortes chegando...
não sei de onde nem como vieram
vieram...
talvez no vento leste?...
aquele que vem do mar!
talvez!...não sei!  quem sabe
nos ultimos raios de sol...
desse sol que moribundo ainda arte...
neste silencioso  fim de tarde...
lembranças que como pássaros,
voltam pra se abrigar da noite,
todos os fins de tarde,
nos mesmo galhos
nas mesma arvore,
de onde partiram pela manhã...
jcflor,- jul.2010.
 

sexta-feira, 2 de julho de 2010

DESERTO

 
Ficou o deserto ...a terra seca, o vento quente;


Ficaram os escorpiões e as miragens do medo;

As loucuras e as amarguras do meu ser...

Fiquei eu mesmo, não querendo ir,

Me agarrei a vida ,mas como quem segura o Nada.

A água que nos foge entre os vãos dos dedos...

E ela ria-se de mim...como quem ri do fim

De quem se foi ...E pude ver seus olhos,

Ultima divagação da mente ...

Olhos que se afastaram na escuridão da noite...

E como um açoite de couro, a vida corta e separa

Corpo,alma e espírito...

E eu não pude ir ...fiquei tombado na areia quente

Inoperante improdutivo, como um bonsai da vida

JOSE CARLOS FLOR
2010
 

quinta-feira, 1 de julho de 2010

CANSADO

 

 




Estou cansado de ser o não ser


Que me condicionaram a ser...

De ter que responder satisfatoriamente

A homens e a Deus.

Ainda que Deus me entenda...

Estou cansado de ser o não ser

De não viver minhas infinitudes

De não viver minhas virtudes

As mais humanas e as mais divinas

As que expandem a verdade do meu ser.

Ao infinito...
 

LIBERTEM - ME

 
Livrem-me dos vossos padrões...


Livrem –me das vossas paixões...

Nas quais desejam me forçar a crer.

Livrem desses modelos seguros

Que não conhecem os escuros labirintos do ser;

Das questões loucas da existência,

Que desde o ventre materno já nos arrancaram

Do viver infinito nos braços do Eterno

Livrem-me dessas prisões...

E me dêem as asas das loucas utopias

Que as vossas razões desconhecem.

PROJCFLOR-2010
 

LIBERDADE

 

Alguém me tire por favor,


Essas algemas das convicções,

E me abra as portas das Liberdades...

Liberdades das incertezas...

Incertezas essas, que sustentam o presente

E alimentam o futuro,

Garantindo – me a sobrevivência...

Alguém,por favor me liberte das convenções

Que tolhem meu potencial criativo

E me faz inativo,infrutífero ,

Um bonsai dos padrões.... Jcf.2010/5
 

SONHO

 





Na solidão sonolento sonho...


A sorrateira serpente se assanha, e

Solitária serpenteia cirandando os meus sentidos.

Sibila, sussurra seu sonoro segredo

Veneno silencioso , sem socorro...

Solidão é sofrimento...

sofrimento de quem sofre só...

É um sofrer lento.

É um sofrer só e, só sofrer só...



Jcflor2010
 

OLHAR

 
Como simples, e mais comum das criaturas...
aguardo...
 

 
As ultimas luzes da tarde moribunda,
Caem...
As derradeiras pétalas na roseira...
 pendem
As atrasadas aves que  aos seus ninhos
voltam
Nas ultimas arvores, que  à tempestade.
resistiram
Olho
como quem quer respostas que só o vento,

 
Espírito do silencio na alma de quem por ultimo se vai,
pode trazer...

 
Vou...
Ao encontro da noite que rasteja descendo a serra

 
Tomando o vale e retomando a alma

 
De quem  em esperança o amanhã incerto.
ama..
Jcflor 2010
 

PAZ

 

Só mesmo o olhar perdido
 

 
Junto as pedras onde o mar revolto

 
Bate e molda pelos séculos

 
Valas, sulcos e não permite o limo

 
Compreende a busca no vazio ao longe

 
Por onde voa a alma e não encontra pouso

 
Sob ondas bravias de um mar implacável...

 
Onde? Encontrar teu olhar...

 
Teu corpo?

 
Minha sepultura...minha Paz.

 
Jcflor-2010/05.
 

sexta-feira, 25 de junho de 2010

 

 



Postado por EDIFICANDO às 21:17 0 comentários

Onde nos levarão as escadarias dos sonhos?

Onde estarão as respostas das inquietações
que dia a dia nos sorvem as alegrias?
E nem as temporárias nos deixam desfrutar?
Esta noite é feita de indagações...
Quem me trouxe aqui, junto a esta ascendente
e louca encruzilhada?
quem escondeu de mim as chaves da porta de entrada
e quem disse que era por a qui a saida?
Quem me diz onde estou?
Que lugar é este?
Quem me espera lá no alto?
Quem me lançou ca pra baixo?
Porque
Quem?
Onde?
Quando?
Como?
É tudo tão incerto
inpreciso,
pra quem precisa
respostas bem claras...
Quem conhece os caminhos de volta?
É algo tão simples,
dizer onde fica?
Quem vai me indicar esta noite
o ideal, pra dormir e sonhar?
O caminho da PAZ?
O caminho da alegria?
Do amor da poesia?
Quem vai me dizer esta noite
de uma forma segura
que o caminho onde ia
me vai levar de volta
ao lugarde onde vim?
jcflor




LOUCO POETA LOUCO

 

 
Um dia, fiz um poema louco...sobre um poeta louco
que dizia gostar de dançar na chuva...
como se chuva fosse lugar pra dançar...
falava de um poeta triste, que andava pela madrugada,
querendo falar de amor...
dizia que a todos amava,
que o seu sonho maior era estar
em todos e com todos na alma...
falava de confusão...
de gente que não entendia,
e a cada passo o confundia...
com ladrão,
com barquinho na agua da chuva,
como um palhaço da vida,
como um guarda noturno...
poeta soturno das frias madrugadas....
e tudo só porque queria estar em todos e com todos na alma!
Um dia escrevi esse poema,
fiz dele tema de um teatro...
de uma peça teatral...
e não sei o que o poema fez de mim?
talvez um grande palhaço,
no picadeiro da vida,
quem sabe, me fez afinal
um poetinha banal,
um sonhador...trivial, amador
Um dia eu fiz um poema...
não lembro como ele era...
isso foi ha muito tempo...
Tempo de dançar na chuva...
tempo de cantar canções nas praças,
tempo do eu sonhando,
tempo de longa espera,
tempo em que acreditava,
que haveria um tempo
em que por certo poderia estar em todos
e com todos na alma...
mas era só um sonho louco,
de um jovem poeta louco,
cuja loucura insana,
dominava sua alma humana
e o fazia acreditar,
que não há loucura maior,
que ha loucura de não saber
AMAR.
jcflor
Postado por EDIFICANDO às 19:47 0 comentários





TOMA MINHA MÃO

 



Toma a minha mão!
Disse o cego ao perceber que alguém passava.
Ajuda-me ja que podes ver o que eu não vejo!
Transporta me ao outro lado,
descreve as cores das casas, descreve os sorrisos,
o olhar das pessoas,
descreve para que eu possa sentir o son das expressões de alegria,
de amor, de espanto...
me conta como as histórias de cada um
se estampam em seus rostos...
preciso ver, e só posso ver se as tuas mãos, tomarem as minhas...
Tú podes ver onde eu não posso ir...
ao sorriso de uma criança,
a beleza de uma mãe que amamenta,
a verdadeira cor de uma flor ao sol da manhã,
ao céu avermelhado no final da tarde...
ao colorido dos jardins, dos campos,
aos mil matizes da natureza...
Toma a minha mão e me faz ver os humanos...
me ajuda a ver como sou...
quem eu sou...
a ver e saber quem tú és.
jcflor

Postado por EDIFICANDO às 05:35 0 comentários
segunda-feira, 21 de junho de 2010







AMOR



Escolhi este lugar para falar de AMOR.
Falar de Paz! Falar de Vida!
Talvez me falte espaço,se não me faltar o tempo!
Talvez me faltem palavras, mas não haverão de me faltar os motivos,
as experiências!
Falar de AMOR, falar de Vida,
não como quem argumenta,
como quem discursa no vazio das idéias,
das inspirações ideológicas,
antes como quem vivencia, experimenta,
sofre a falta e sobeja o que deseja dar...
Amor não é sentimento, é verbo em ação;AMAR!
Quando pensares em dizer que acabou,
é hora, é tempo de começar...
o amor
precede a vida, sobrepõe - se a morte,
transcende as leis, sobrepuja a razão...
É...simplesmente, e sendo acontece independente do querer...
QUEM AMA, SE AMA, É AMADO...
AMAR É SIMPLESMENTE SE DEIXAR CONSUMIR
MESMO QUANDO NÃO SE ENCONT
UMA JUSTIFICATIVA NO OBJETO AMADO,
QUEM AMA VIVE,
SOBREVIVE,
POIS VIVE SOBRE TUDO QUE A MORTE QUER TIRAR...
QUEM AMA, E É CAPAZ DE AMAR,
JA SE DEIXOU CONSUMIR,
SEM DEIXAR DE EXISTIR..
jcflor-



Postado por EDIFICANDO às 21:17 0 comentários
 

terça-feira, 22 de junho de 2010

TRAVESSIA - I

 
 Fotografado-maio de  2010-JCFLOR-


Quem vem longe na avenida?
Será a morte, será a vida?
Quem vai distante pela ponte
será a sorte, a esperança perdida?
Quem vem quem vai pouco importa
nesta noite morta, neste silencio duro...
onde como um louco só,  procuro
neste recanto escuro da alma,
um quinhão da ilusão que o tempo
possa ter deixado escapar,
das mãos tenazes da realidade...
dura realidade...
nada posso encontrar...
na avenida,na ponte,
no silencio desta noite fria,
quem vinha ou quem ia,
já não consigo lembrar
apenas sei que o destino,
a sina,
a providência,
ou quem quer que seja,
não dá, nem permite
o que minha alma deseja...
Tua presença,teu olhar,
te amar.

jcf.
 

sábado, 19 de junho de 2010

AUSENCIA

 
                                                            



ESPEREI QUE ESTA MANHÃ NASCESSE
SEM ENTENDER BEM O QUE NA VERDADE ESPERAVA...
O SOL QUE NUNCA VI...
A BRISA QUE NÃO SENTI...
O SORRISO QUE NÃO RECEBI...
O ABRAÇO AUSENTE,
A FRASE NÃO DITA,
A FLOR QUE NÃO SE ABRIU...
ENCONTREI APENAS O SILENCIO,
A AUSENCIA,
O VAZIO...
NÃO ACHEI TUAS MÃOS,
NÃO SENTI TEU CALOR,
NÃO OUVI TUA VOZ,
E LAMENTEI ESTAR ACORDADO
SEM PODER SONHAR!

 
JCFLOR
 

SANTO SEJA

 
HOJE EU ACORDEI CANSADO! MUITO CANSADO...
HAVIA SONHADO QUE CORRIA ENTRE RUAS DE LAMAS E TERRA...
ENTRE HOMENS ...ENTRE CIDADES E CAMPOS DE GUERRA...
MEU CORAÇÃO DISPARADO E OS OLHOS VIDRADOS OLHANDO O TETO...
ERA UMA COMPETIÇÃO... E EU VENCIA...
ERA CAMPEÃO...
MAS NÃO FOI SONHO,
ERA VERDADE,
NO MUNDO ESPIRITUAL ESTAVA 
A REALIDADE.
E OUVI O SENHOR ME DIZER:
-SEDE SANTO!
-SER SANTO,SENHOR? - INDAGUEI NO ESPIRITO.
-SIM, SER SANTO! - RESPONDEU -ME NO ESPIRITO.

NÃO O SEJA POR TUA JUSTIÇA,
nem o seja por Teu próprio esforço, nem tão pouco santo segundo Teus conceitos,
TUA SANTIDADE REALIZEI NA CRUZ,
tão somente seja santo, santo sendo.
Vista o nu, de comer de ao que tem fome, esteja ao lado dos encarcerados nas masmorras da ambição, do egoismo, da solidão, das tristezas existencias, alegra-os, mostra-lhes o outro, seja o outro na vida deles, seja o próximo, não finja não ver os irmãos assaltados pelas circunstãncias caidos no isolamento social, os falidos, os desprovidos, os que perderam o encanto da vida, e até mesmo da fé...anda socorre-os, alberga-os, hospeda-os...não permita que experiencias passadas sejam ditadoras do hoje e castradoras do teu futuro COMIGO- dá de beber a quem tem sede como se dessedentasse a MINHA própria SEDE, sede de comunhão contigo, sede de manifestar-te o meu
AMOR SANTO E ETERNO...
Lembra-te que é pela Graça que foste salvo,
a Graça que realizei consumando na Cruz, a tua Santificação ,
agora Santo Seja.expressando o que eu te fiz ser, Santo.

 
Não queria sê-lo sob tuas regras, nem sob regras humanas.
Da a esquerda ao que te fere a direita,
não respondas as injurias, compreenda as limitações do outro,
sauda não só os que te saudam,
abençoa os que te amaldiçoam,
faze o bem sem esperar que te reconheçam,
não anuncie tuas obras de justiça,
não escondas tuas mãos dos necessitados...
santo seja.

Não te juntes apenas aos que se julgam santos,
junta-te tambem aos que tu julgas serem pecadores,
dá-lhe os meu Amor, revela-me a eles,
se e que estas na Cruz, e sé é que Eu estou em Ti !?
SANTO SEJA!
jcflor-

© 2010 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode